Notícias

  • Home >>
  • notícias
segunda-feira 12 de julho de 2021

Honda Open – Bandeirantes: Renato da Silva, 17, conquista seu primeiro Aberto nacional

Manu Barcellos, 18, vence no feminino e entra para o Ranking Mundial Amador de Golfe

 

Renato da Silva Filho e Manu Barcellos vencem Honda Open Bandeirantes 1280

Renato da Silva Filho e Manu Barcellos com os troféus de campeões do Honda Open – Campeonato Bandeirantes 2021  (acima), e Renato comemorando o birdie no 18 e a vitória (no final). Fotos: Thais Pastor/F2 Assessoria

O Honda Open – Campeonato Bandeirantes de Golfe 2021, encerrado neste domingo, 11 de julho, no Lago Azul Golfe Clube, em Araçoiaba da Serra (SP), consagrou dois jovens talentos do golfe brasileiro: o paranaense Renato da Silva Filho, de 17 anos, do Alphaville Graciosa, de São José dos Pinhais (PR), que venceu seu primeiro grande torneio nacional, e o da carioca Manu Barcellos, do Quinta da Baroneza (SP), de 18 anos, que levou o título feminino e entrou para o ranking mundial amador de golfe (WAGR).

Aguarde álbum de fotos completo do torneio

Renato entrou para o ranking mundial (é preciso vencer um torneio válido para o WAGR para entrar na lista) em março de 2020, uma semana antes da pandemia interromper os torneios nacionais por 16 meses, ao vencer a etapa do Rio Grande do Sul do Tour Nacional Juvenil, no Belém Novo. Agora, na retomada dos torneios do ranking nacional e mundial, Renato conquistou seu primeiro grande torneio adulto, o Honda Open – Campeonato Bandeirantes, um dos dois maiores eventos da Federação Paulista de Golfe (FPGolfe), junto com o Honda Classic – Aberto do Estado de SP, e um dos mais importantes do Brasil.

De ponta a ponta – E não foi uma vitória qualquer. Renato, único a jogar duas das três rodadas abaixo do par e fez a melhor volta de todo o torneio neste domingo e venceu de ponta a ponta, com 213 (70-74-69) tacadas, três abaixo, e seis de vantagem sobre o favorito da casa, Gui Grinberg, que venceu uma disputa apertada pelo segundo lugar ao somar 219 (77-70-72) tacadas, três acima, contra 220 de Arthur Locoman (72-74-74), do Clube Curitibano, e de Thomas Choi(72-76-72), do São Paulo GC.

“Gostei muito de meu jogo, bati bem na bola, não fiz duplo bogeys, tive apenas dois greens de três putts em todo o torneio e consegui fazer um birdie e dois pares no buraco 11 (de par 3), o mais difícil do campo, onde era impossível ler as caídas”, comemorou o juvenil que treina com o profissional Patrick Caussin, desde que começou a jogar, no próprio Alphaville, e, mais recentemente, com o “mental coach” Roberto Gomez, o mais premiado amador do golfe brasileiro.

Destaques – Gui, que é recordista do Lago Azul, campo onde jogou a vida toda, com oito abaixo, só tropeçou em dois buracos seguidos do primeiro dia, o 13 e o 14, onde cometeu um duplo e um quádruplo bogeys. Ele se recuperou no sábado ao fazer a outra única volta abaixo do par de todo o torneio e chegou à volta final perdendo por três. Com a irmã Lauren, que não jogou por estar contundida, levando sua bolsa, Gui copiou o cartão nos primeiros 10 buracos do domingo, até fazer bogey no 11. Ele só garantiu o segundo lugar isolado ao embocar para birdie no 16 e terminar a volta no par do campo.

Thomas Choi, que estreou em segundo lugar, mas caiu para quarto no segundo dia, fez cinco birdies nos 11 primeiros buracos para ficar a apenas uma tacada do líder, mas depois não foi bem. Fez um duplo bogey no 13 e bogey no 14, e teve que se contentar com o terceiro lugar. Choi dividiu a posição com Locoman, que fez dois birdies e quatro bogeys no domingo para jogar seu segundo 74.

Paranaenses – A se destacar ainda na chave masculina a força do golfe do Paraná, que além do título de Renato e do terceiro lugar de Locoman, colocou cinco jogadores entre os oito primeiros. Completaram a lista Rafael Bernardi, do Ponta Grossa, quinto colocado com 224 (74-77-73), Victor Maciel dos Santos, do Alphaville Graciosa, que somou 231 (75-82-74), e dividiu o sexto lugar com Fernando Silva (76-75-80), do Campinas Golf Center, e Homero de Toledo, mais um do Alphaville Graciosa, oitavo colocado com 232 (77-81-74).

O Honda Open – Campeonato Bandeirantes premiou ainda os melhores pré-seniores (40 a 54 anos) e seniores (55 anos ou mais), que pontuaram para os rankings 40+ da FPGolfe. O campeão pré-sênior foi Rogério Cardoso, do Damha, com 247 (78-86-83) tacadas, com Otavio Lima, de Bastos, em segundo, com 265 (87-88-90). Já a categoria sênior, reeditando um duelo recorrente nos torneios da ABGS, A Associação Brasileira de Golfe Sênior, foi vencida por Mario Ghisalberti, do Portal Japy, com 254 (84-82-88) tacadas, seguido por Douglas Black, do Sapezal, com 249 (82-86-81). Os dois se revezaram na liderança, antes de Mario abrir vantagem nos buracos finais.

Handicaps – Já na classificação por handicaps índex até 8,5, só deu paulistas no pódio. João Pedro Bossetto, do Arujá, venceu com 212 (68-70-74) tacadas, quatro abaixo, seguido por Fernando Silva, com 216 (71-70-75), e por Choi, com 217 (71-75-71). Nas demais faixas de handicap, que jogaram em 36 buracos, foram premiados o melhor resultado gross (sem descarte de handicap) e os dois melhores net, descontado o handicap).

Na 8,6 a 14 Ivair Tadei, do Imperial, foi o campeão gross com 139 (68-71) tacadas, enquanto os troféus net iam para o campeão Leandro Metzner, do Arujá, com 145 (69-76), e Heliton Vieira, do Lago Azul, com 147 (79-68). Na 14,1 a 19,4, Kaixi Fan, do Lago Azul, foi campeão gross com 176 (83-93), Cassius Avena, do Lago Azul, venceu na net, com 145 (68-77), e Luis Vissoto, do São Paulo Futebol Clube, foi o vice com 146 (69-77). E, finalmente, na 19,5 a 25,7, Felipe do Carmo, do Lago Azul, foi o campeão gross com 183 (90-93), enquanto Claudio Kawano, do Riacho Grande, com 144 (72-72) e Nilson Ono, do Paradise, com 145 (74-71), levavam os troféus net.

Feminino – Entre as mulheres, Manu Barcellos, carioca filha de gaúchos, radicada em São Paulo, também venceu de ponta a ponta, com 234 (73-76-85), com direito à melhor volta feminina de todo o torneio, na estreia. Marina Nonaka, do Arujá, a jogadora de melhor handicap em campo, começou a volta final perdendo por 13 tacadas, mas descontou sete e foi vice-campeã apenas seis tacadas atrás, ao somar 240 (82-80-78). Fernanda Lacaz, do São Fernando, que começou o torneio em segundo lugar, terminou em terceiro, com 251 (81-85-85).

Mas o grande momento da premiação feminina foi a da categoria até 16, onde Corina Barcellos, mãe de Manu, do Quinta da Baroneza, voltando a competir após 16 anos parada, foi a campeã, com 222 (74-74-74) tacadas. Gabriele Rodrigues, do Arujá, foi a vice, com 229 (84-70-75), seguida por Fernanda Lacaz, com 239 (77-81-81). Já na 16,1 a 25,7, a campeã gross foi Elaine Frota, do Lago Azul, com 190 (94-96); Li Lian Mizikami, do Clube de Golfe de Campinas foi a campeã net, com 152 (75-77) e Joelma Maria Rodrigues, do Riacho Grande, a vice com 154 (75-79).

Premiação – Para evitar aglomerações, as premiações foram divididas em duas partes, com as categorias que jogaram pela manhã recebendo seus troféus logo após o almoço e as demais, no final do dia. Mauro Batista, diretor executivo da FPGolfe apresentou as cerimônias que tiveram a mesa composta, na primeira parte, por Ubirajara Amorim Filho, vice-presidente de Desenvolvimento e Novos Projetos da FPGolfe, Eduardo Bradaschia, vice-presidente de Marketing da FPGolfe, e Joaquim Fonseca, diretor de Desenvolvimentos e Novos Projetos da FPGolfe. Na parte final a mesa teve Ademir Mazon, presidente da FPGolfe, Pedro Gatti, capitão do Lago Azul, e Uipiquer Gomes dos Santos, vice-presidente da Mazars, apoiadora do torneio.

Renato comemora o titulo com birdie no 18 1280

Como posso te ajudar?

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.