Notícias

  • Home >>
  • notícias
sábado 20 de novembro de 2021

Honda Open – Aberto do Clube de Golfe de Campinas começa com show de Ronaldo Francisco

Profissional do Quinta do Golfe jogou -5 na estreia, de olho em vaga para o PGA Tour Champions

 

 

Ronaldo Francisco 1280

Ronaldo: seis birdies para jogar 67 em condições difíceis. Fotos: Thais Pastor/F2 Assessoria

Interna cgc 2021

Ronaldo Francisco, head-pro do Quinta do Golfe, de São José do Rio Preto, fez seis birdies e ainda errou outro de menos de um metro no buraco final para jogar 67 tacadas, cinco abaixo do par, e assumir a liderança isolada do Honda Open – Campeonato Aberto do Clube de Golfe de Campinas, que teve a sua 56ª edição masculina e a 37ª feminina, iniciada neste sábado, 20 de novembro, em Sumaré (SP). Entre os amadores, Fernando Silva, do Campinas Golfe Center, o número 1 do ranking da Federação Paulista de Golfe (FPGolfe), também é líder isolado. No feminino, Kyoung Aie Kim, única jogadora scratch, estreou com 84 tacadas.

Ao lado, de cima para baixo, os profissionais Everton e Gustavo, os amadores Fernando e Alesandro, e Kyong Aie Kim

Foram seis birdies e um bogey para Ronaldo jogar 67, cinco abaixo do par, e abrir três de vantagem sobre os adversários, num dia em que o vento, com rajadas de mais de 30 km/h à tarde, foi um fator importante, ao lado dos greens, que estavam muito difíceis de jogar. Ronaldo está motivado pelo intenso treinamento que vem fazendo para disputar as seletivas para o PGA Tour Champions, o circuito sênior do PGA Tour, para profissionais com 50 anos ou mais, onde jogam desde Bernard Langer, de 64 anos, que acaba de ser campeão da temporada pela sexta vez, a Phil Mickelson, de 51, campeão do torneio de encerramento de 2021.

Champions Tour - “Estas seletivas são muito difíceis, talvez até mais difícil do que jogar no PGA Tour”, diz Ronaldo, que jogará de 29 de novembro a 2 de dezembro, em Winter Garden, na Flórida, graças aos sócios de seu clube, que bancaram todas as suas despesas para a viagem. “Vou jogar na última das três chaves dessa primeira fase de seletivas, em busca de uma das 20 vagas para a seletiva final”, cota Ronaldo, que tenta ser apenas o segundo brasileiro da história a jogar no Champions Tour, seguindo os passos de Rafael Navarro. Priscillo Diniz também jogou no Sênior Tour, mas da Europa.

Quem mais se aproximou do líder foi Everton Menezes, que jogou uma abaixo em cada metade do campo, com quatro birdies, um eagle e três bogeys, dois deles nos três buracos finais. Gustavo Teodoro, novo head-pro do Ipê de Ribeirão Preto, substituindo Alexandre Holtz, que foi morar nos EUA, também vinha com duas abaixo até fazer um duplo bogey no 7, seu antepenúltimo buraco do dia, para terminar em terceiro, com 72, o par de campo.

Jovenilio Souto, que joga em casa, ficou em quarto, com 73, seguido por três profissionais com 74: Vanderlei Soto, Cafal Gomes e Edemilson Correia. A competição profissional, com R$ 18 mil em prêmios, sendo R$ 3,7 mil para o campeão, tem patrocínio de Manhattan Investimentos/XP, Sata Brasil, Única Saúde, Valbormida e YP Solarline.

Amadores – Na competição amadora, Fernando Silva, número 1 do ranking da FPGolfe, não conseguiu embocar nenhum birdie na estreia, mas terminou líder, com 75, três acima. Alessandro Fonseca, também do Campinas Golf Center, fez um birdie e vinha com uma abaixo em 13 buracos, antes de fazer um triplo-bogey 7, no 5, e mais dois bogeys nos quatro buracos finais e terminar em segundo, com 76, seguido por três jogadores da casa: José Augusto Pereira, com 81, Fujio Sakai, com 86, e Caic Choi, com 88. Fonseca lidera a categoria com até 8,5 de handicap, com 72 tacadas.

Choi, conhecido na adolescência por “Pão de Queijo”, parou de jogar por 10 anos e voltou animado, dividindo o tempo com sua nova paixão, as corridas de longa distância. Na véspera da estreia, Choi estabeleceu o incrível recorde de ter corrido ao menos 6 km por dia, durante 823 dias consecutivos, no começo, na esteira, mas os últimos 608 ao ar livre. Só nessa fase final foram 4.584 km, o suficiente para ir do Oiapoque ao Chuí, os pontos territoriais extremos do Brasil (do norte ao sul), que estão a 4.174 km um do outro, em linha reta.

Handicaps - Na 8,6 a 14, o líder é Rogerio Tartari, da casa, que jogou 66, seguido por Ivair Tadei, do Imperial, e Wellington Aderaldo, do Riacho Grande, ambos com 69. Nas 14,1 a 19,4 só deu jogadores da casa na frente, com Byen Soon Wook líder, com 67, seguido por Heitor Alves Matos, com 68, e por Takashi Koga, com 71. Na 19,5 a 25,7, o local Henrique Meloni lidera com 67, seguido por Pedro Altmann, do Sapezal, pai da profissional Luiza Altmann, com 69, e por Alexandre Strumendo, do Campinas Golf Center, com 71.

Entre as mulheres com handicap índex de 16,1 a 25, o domínio também é das jogadoras locais. Eun Young Choi lidera com 70 tacadas, seguida pela capitã Li Lian Mizikami, com 72, e por Young Sun Kim, com 73.

Resultados completos e horários de saída

Patrocinadores e Apoiadores do Golfe Solidário Brasil

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.