Notícias

  • Home >>
  • notícias
segunda-feira 20 de setembro de 2021

Honda Open – Aberto do Arujá: Lucas vence pela terceira vez e mantém invencibilidade

Marina ganha de virada e entra para o Ranking Mundial. Mizoguchi faz hole-in-one e leva moto

 

Marina e Lucas com seus troféus: pontuando para o ranking mundial. Fotos: Thais Pastor/F2 Assessoria

Marina e Lucas com seus troféus: pontuando para o ranking mundial. Fotos: Thais Pastor/F2 Assessoria

Lucas Park, do Paradise, e Marina Nonaka, que jogava em casa, fizeram história no Honda Open – 45º Aberto Masculino e Feminino do Arujá Golf Clube, disputado de 17 a 19 de setembro, sexta-feira a domingo, em Arujá (SP). Com esse seu terceiro título do torneio – venceu em 2016, 2017 e 2021 – Lucas manteve a invencibilidade no Aberto do Arujá, uma vez que não competiu nas duas edições anteriores, em 2018 e 2019, quando estava nos EUA (o evento de 2020 não se realizou por causa da pandemia). Marina, por sua vez, além do título, comemorou sua entrada no Ranking Mundial Amador de Golfe, aos 16 anos, recém completados.

Veja álbum com as primeiras fotos do torneio
Honda Aruja InternasAguarde, neste mesmo link, álbum completo

Lucas chegou como um dos favoritos, mas não conseguiu bons resultados nos dois primeiros dias, com muitos erros sobre os greens, incluindo um triplo bogey-8 ao dar quatro putts no buraco 17, no sábado. Mas, neste domingo, ele reagiu ao jogar o par do campo e melhor volta de todo o torneio para ser campeão com 225 (77-76-72) tacadas, nove acima do par e cinco tacadas de vantagem sobre os adversários. Lucas fez cinco birdies neste domingo e foi o recordista de buracos jogados abaixo do par na semana, com 11 no total.

Destaques – Quem mais se aproximou do campeão foi Homero de Toledo, do Alphaville Graciosa, do Paraná, líder do primeiro dia, que foi vice-campeão com 229 (74-82-73) tacadas, depois de fazer a segunda melhor volta do torneio no domingo. Matheus Park, do Paradise, irmão mais novo de Lucas, chegou a liderar a competição depois de embocar de fora para fazer um eagle-2 no buraco 6 e somar a quatro abaixo no dia, mas devolveu seis tacadas na segunda metade do campo e terminou apenas em terceiro, com 232 (78-80-74) tacadas. Homero e Matheus fizeram 10 birdies cada na semana.

Fernando Silva, do Campinas Golf Center, que começou o dia em segundo, terminou em quarto, com 239 (79-75-85) tacadas, empatado com Carlos Momose, do Arujá (87-75-77). Destaque ainda para Pedro Miyata, do São Fernando, sexto colocado com 242 (83-82-76), seguido por João Bossetto, do Arujá, com 242 (79-82-81). Edinilson Machado de Lima, da Federação Norte do Golfe, ficou em oitavo, com 244 (86-78-80), seguido por Mario Ghisalberti, do Japy, com 245 (83-80-82), que levou o troféu de campeão sênior, e por dois jogadores que completaram os Top 10, com 246: Marcos Park, o mais novo dos irmãos do Paradise (78-78-90), e Rogerio Cardoso, do Damha (79-81-86).

Handicaps – Na classificação por handicaps índex até 8,5, Bossetto venceu com 218 (71-74-73), seguido por Rogerio, com 222 (71-73-78). Marcos Okumura, do Arujá, levou o troféu de terceiro lugar com 224 (79-71-74). As outras duas categorias masculinas jogaram apenas 36 buracos, no final de semana. Na 8,6 a 14, dobradinha do Arujá: Kyu Hwang Jung foi campeão, com 138 (65-73), e Leandro Metzner vice, com 139 (71-68). Cassio Filizola, do Clube de Campo, completou o pódio em terceiro, com 141 (72-69).

Na 14,1 a 19,4, o título só foi decidido nos critérios de desempate: Denis Song, do Clube de Golfe de Campinas, levou o troféu de campeão com 141 (74-67) tacadas, enquanto Wilson Igawa, do Arujá, ficava com o de vice por ter jogado pior no segundo dia (66-75). Célio Massao Kanesaki, do Paradise, ficou em terceiro, com 142 (68-74).

Feminino – A disputa pelo título feminino foi um duelo entre duas jogadoras do Arujá: Marina Nonaka e Angelica dos Ouros, que dividiram a liderança após a primeira rodada. No segundo dia, Angélica se isolou em primeiro, uma tacada à frente de Marina. Quem vencesse entraria para o Ranking Mundial Amador de Golfe (WAGR), mas com um desafio adicional: precisavam ganhar com no máximo 24 acima, o limite para um torneio feminino valer para o WAGR (no masculino o limite é de 18 tacadas acima).

Marina, que começou a volta final com 18 acima, começou pressionada ao subir seis tacadas nos primeiros 13 buracos, o limite para pontuar no WAGR, Mas Marina teve a tranquilidade para fazer dois birdies nos três buracos finais e vencer com 238 (79-83-76) tacadas, 22 acima, e duas de folga para se tornar a 11ª brasileira no WAGR. Para entrar na lista é preciso vencer um torneio válido para o WAGR, mas agora Marina irá pontuar em todos os torneios da série mundial que disputar.

Mais premiadas – Angélica começou o dia em primeiro, mas fez sua pior volta da semana para ficar num distante segundo lugar, com 249 (79-82-88) tacadas. Jessica Mellace, do Paradise, grávida de dois meses, ficou em terceiro, com 256 (85-85-86), seguida por Samire Oliveira, do Arujá, com 257 (88-86-83); Kyoung Aie Kim, do Clube de Golfe de Campinas, com 259 (86-87-86); e Maria Luiza Soares, do Porto Alegre CC, com 260 (88-84-88).

Na classificação por handicaps índex até 16, Maria Eduarda Ferraz Souza, do Arujá, venceu com 209 (71-71-67) tacadas, seguida por Kyoung, que ficou em segundo, com 211 (70-71-70), e por Jessica, com 214 (71-71-72). Na 16,1 a 25,7, que jogou apenas dois dias, só deu Arujá no pódio. Helena Assakawa venceu com 132 (67-65), seguida por In Ja Han, com 143 (71-72), e por Teresa Akamine, com 145 (75-70). Outras três jogadoras também somaram 145, mas perderam o troféu de terceiro lugar nos critérios de desempate: Li Lian Mizikami, do Clube de Golfe de Campinas, com 145 (75-70), Terezinha Dias, do Arujá (73-72) e Junko Omura, do Arujá (71-74).

Hole-in-one – A volta final foi marcada pelo hole-in-one de Hole-in-one de Eliza Mizoguchi, no buraco 2, seu 11º do dia. Eliza bateu uma madeira 7, de 168 jardas de distância, para fazer o seu primeiro hole-in-one em 22 anos de golfe. Como prêmio, ela ganhou uma moto Honda Elite, que era oferecida neste buraco e no 16. Ninguém ganhou o cart Club Car, oferecido pela Bahia Car, ou o cruzeiro marítimo, que eram os prêmios dos outros dois buracos de par 3 do campo. O Cruzeiro, no entanto, foi sorteado entre os campeões e foi ganho por Bosseto.

Mauro Batista, diretor executivo da FPGolfe, apresentou a entrega de prêmios que teve a mesa composta ainda por Otavio Mizikami, da Honda, patrocinador Master do evento; Jorge Ogawa, presidente do Arujá; Ademir Mazon, presidente da FPGolfe; Mario Numada, vice-presidente do clube e organizador do torneio, e Luis Camargo, prefeito de Arujá, além dos capitães Amaro Konno e Elizabeth Tatsumi. Mazon, em seu discurso, parabenizou o clube pela quantidade de qualidade de suas jogadoras e pela excelente safra de novos talentos juvenis femininos, entre elas Marina Nonaka. Todos os premiados ganharam presentes dos patrocinadores e houve sorteio de dezenas de brindes.

Resultados completos

Patrocinadores e Apoiadores do Golfe Solidário Brasil

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.