quinta-feira 10 de agosto de 2017

Aberto do Estado de São Paulo: melhores golfistas do Brasil treinam em clima de verão, no Damha

Treinos desta 5ª feira foram com temperaturas acima de 30 graus e veranico prossegue até domingo

 

Abbre 2 1024

Um veranico em pleno inverno paulistano, com temperaturas acima dos 30º C,  recebeu os melhores golfistas do Brasil para a volta de treino do  68º Aberto do Estado de São Paulo, que começa nesta sexta-feira, 11 de agosto, e prossegue até domingo, no campo do Damha Golf Club, em São Carlos (SP). O Aberto de São Paulo, organizado pela Federação Paulista de Golfe (FPG), tem patrocínio da Embrase, e apoio do R&A, como evento válido para o Ranking Mundial Amador de Golfe (WAGR); Confederação Brasileira de Golfe (CBG);Damha e Santa Emília/Honda, que está oferecendo um Civic Touring 1.5 Turbo, no valor de R$ 125 mil para quem fizer um hole-in-one no buraco 6, par 3 com um green-ilha que é o cartão postal do clube.

Ao chegar para treinar nesta quinta-feira, 10, os paulistas Pedro Nagayama, do São Fernando, e Lauren Grinberg, do Lago Azul, foram surpreendidos por grandes banners com suas fotos em seus respectivos tees no buraco 1. Uma homenagem os que irão defender seu título contra os melhores jogadores do país, neste torneio que é um dos maiores, mais antigos e mais importantes do calendário nacional. Os jogadores scratch (handicaps índex até 8,5, no masculino, e até 16, no feminino), jogam 54 buracos a partir desta quinta. As demais categorias (feminino de 16,1 a 25,7 e masculino de 8,6 a 14; de 14,1 a 19,4; e de 19,5 a 25,7) que jogam apenas 36 buracos, só entram em campo no sábado.

Favoritos - O gaúcho Herik Machado, do Belém Novo, número 1 do Brasil, que treinou ao lado de Sandro Gonçalves, seu companheiro de clube, e dos irmãos André e Filipe Rossi, do São Paulo, entra em campo como principal favorito, tem um desafio à parte: o Aberto do Estado de São Paulo é o único grande torneio que ele nunca venceu no Brasil. Do Damha, ele guarda boas recordações, depois de ter sido vice-campeão da Faldo Series, há cinco anos.

Lauren, que além de defender o título é a número 1 do Brasil e de São Paulo, é a franca favorita, sobretudo depois que muitas jogadoras juvenis, que estão entre as melhores do ranking, desistiram de jogar em São Paulo devido à transferência de uma etapa do Tour Nacional Juvenil para a próxima semana, no Paraná. Para a maioria, é muita aula a ser perdida logo na volta das férias.

Elite em campo - A competição masculina do Aberto de São Paulo, com 39 jogadores com handicap índex máximo de 8,5, será uma das mais fortes do ano, reunindo nove dos dez primeiros dos rankings paulista e brasileiro, e os oito primeiros brasileiros do ranking mundial de golfe que moram no país. No feminino, duas das cinco melhores do Brasil estarão em campo.

Apesar da prolongada estiagem no interior paulista, onde não chove a quase dois meses, o campo do Damha, desenhado por Ricardo Rossi, está com tees, raias e greens em excelentes condições e mais desafiador do que nunca. O campo tem par 72 (36-36), com 7.078 jardas do tee dourado, 6.638 do tee azul e 6.105 do tee branco e distribuição tradicional, com dois pares 3 e dois pares 5 em cada metade do percurso. A água entra em jogo em apenas quatro buracos – 6, 9, 17 e 18 – com destaque para o buraco 17, que exige um tiro para o green por cima de um grande lago, e para o green-ilha do buraco 6.

Sede do Damha Green do 17 Green do 6 Herik Andre Sandro Filipe Balestrin Kenji, Fernanda e Lauren





Federação Paulista de Golfe