quarta-feira 09 de agosto de 2017

Aberto do Estado de São Paulo 2017: conheça os favoritos para vencer no Damha

Torneio do ranking mundial e brasileiro começa nesta quinta. Divulgados horários de saída

 

Trofeus AESP 1024

Troféu masculino (esq.) e feminino (dir.) do Aberto do Estado de São Paulo, de posse transitória, entre os mais antigos e tradicionais do golfe brasileiro. Foto: Thais Pastor

O 68º Aberto do Estado de São Paulo, com patrocínio da Embrase, começa oficialmente nesta quinta-feira, 10 de agosto, com os melhores jogadores do Brasil chegando ao Damha Golf Club, em São Carlos (SP) para a volta de treino da competição válida para os rankings mundial, brasileiro e da Federação Paulista de Golfe. Os horários de saída para sexta-feira, 11, o primeiro dia, já foram publicados e podem ser vistos aqui. O torneio termina no domingo. Todos os jogadores que não disputam as categorias scratch jogarão apenas no final de semana.

A competição masculina, com 39 jogadores com handicap índex máximo de 8,5, será uma das mais fortes do ano, reunindo nove dos dez primeiros dos rankings paulista e brasileiro, e oito dos nove primeiros brasileiros do ranking mundial de golfe que moram no país. No feminino, apesar da ausência de jogadoras importantes, duas das cinco melhores do Brasil estarão em campo.

Desafios - Apesar de plano, o campo do Damha, desenhado por Ricardo Rossi, tem um percurso bastante desafiador. O campo tem par 72 (36-36), com 7.078 jardas do tee dourado, 6.638 do tee azul e 6.105 do tee branco e distribuição tradicional, com dois pares 3 e dois pares 5 em cada metade do percurso. A água entra em jogo em apenas quatro buracos – 6, 9, 17 e 18 – com destaque para o buraco 17, que exige um tiro para o green por cima de um grande lago, e o green-ilha do buraco 6, cartão postal do clube.

O buraco 6 ganhou um atração a mais, um Civic Touring 1.5 Turbo, no valor de R$ 125 mil, oferecido pela Santa Emília/Honda, para quem fizer um hole-in-one lá durante o torneio. O torneio tem ainda apoio do R&A, como evento válido para o Ranking Mundial Amador de Golfe (WAGR); da Confederação Brasileira de Golfe (CBG); e do Damha Golf Club.

 


 

Confira, abaixo, os favoritos ao título

 


Herik Machado328Herik Machado, Belém Novo (RS)

Número 1 do ranking amador brasileiro, Herik é o melhor brasileiro do ranking mundial amador, na 165ª colocação. Ele vem de um terceiro lugar, como melhor brasileiro, do Amador do Brasil, no Curitibano, no início de julho. Mas, antes disso, venceu o Aberto do Paraná, em junho, também no Curitibano; foi campeão geral da etapa sul-americana da Faldo Series, em junho, no Alphaville; venceu o Aberto do Brasília, em abril, e abriu o ano ganhando o Aberto de Curitiba, no Graciosa. O único torneio que não venceu ou foi o melhor brasileiro, foi o Sul-Brasileiro, em maio, no Porto Alegre CC, onde terminou em quinto, atrás de três estrangeiros e de Pedro Nagayama, que ficou em terceiro.

 

PPedro Nagayama 328edro Nagayama, São Fernando (SP)

Número 2 do ranking brasileiro e do ranking paulista, e quarto melhor brasileiro do ranking mundial (918º) Nagayama costuma conseguir voltas recordes nos torneios que disputa, mas nem sempre mantém a regularidade. Ele liderou o Amador do Brasil, no Curitibano, no primeiro dia, com a melhor volta da semana (-5), antes de terminar em oitavo lugar. Antes disso ficou em quinto no Aberto do Paraná, igualando a melhor volta da semana (-4) no segundo dia; foi terceiro colocado e melhor brasileiro do Sul-Brasileiro, com mais um recorde da competição (-4); terceiro em Brasília; e sexto no Aberto do Curitiba.

 

Jinbo Ha 328Jinbo Há, Terras de São José (SP)

Número 3 do Brasil e número 1 do ranking paulista, Jinbo Há, coreano radicado em São Paulo, vem de um décimo lugar no Amador do Brasil, onde só jogou duas boas voltas. Antes disso, foi terceiro no Aberto do Paraná; venceu de ponta a ponta o Campeonato Bandeirantes, em junho, no Lago Azul; foi vice-campeão do Faldo Series; vice-campeão e melhor brasileiro do Sul-Brasileiro, vice-campeão em Brasília e terceiro colocado no Aberto de Curitiba.

 

 

Daniel Kenji Ishii 328Daniel Kenji Ishii, Itanhangá (RJ)

Kenji, quarto do ranking brasileiro e segundo melhor brasileiro do ranking mundial (593º) vem de uma vitória de ponta a ponta e por nove tacadas de vantagem no Aberto da Federação Paranaense e Catarinense de Golfe, no Alphaville, na última semana, incluindo o recorde de 66 (-6) no segundo dia.  Antes disso, foi décimo no Amador do Brasil (quinto brasileiro); quinto no Aberto do Paraná; terceiro colocado e segundo melhor brasileiro do Sul-Brasileiro; e vice-campeão no Aberto de Curitiba.

 

 

Lucas Park 328Lucas Park, Paradise (SP)

Aos 16 anos, o mais velho dos três irmãos que estão fazendo a diferença no golfe paulista, é o juvenil número 2 do Brasil e quinto colocado dos rankings brasileiro e paulista. Ele vem de um vice-campeonato no Aberto da FPGC. Antes disso, venceu o Juvenil de Inverno de São Paulo, no Terras de São José; foi campeão brasileiro juvenil, no Clube de Campo, ambos em julho; ficou em quarto no Bandeirantes; empatou em terceiro na Faldo Series; e foi quarto colocado em Brasília.

 

 

Marcos Negrini 328Marcos Negrini, Damha (SP)

Quarto colocado do ranking paulista, Negrini terá a vantagem de jogar em casa, no campo onde aprendeu golfe, há 11 anos. Depois de diminuir bastante o ritmo de torneios por causa do trabalho e do estudo, Negrini vem jogando com mais intensidade nos últimos meses, mas só em São Paulo, e ainda se recente de falta de ritmo de competição, como no Amador do Brasil, onde terminou em 22º após um 80 no segundo dia. Mas vem de um quarto lugar no Bandeirantes e venceu o Aberto do Clube de Campo, derrotando Roberto Gomez, em casa, no segundo buraco do Playoff.

 

Daniel Celestino328Daniel Celestino, Graciosa (PR)

Juvenil número 1 do Brasil e sétimo do ranking adulto, ele se prepara para representar o Brasil no Juvenil do Chile, no final do mês. Celestino vem de um quinto lugar no Aberto da FPCG, além de ter disso vice-campeão brasileiro juvenil apenas duas tacadas atrás de Lucas. Antes disso, foi terceiro colocado (empatado com Jimbo), no Aberto do Paraná; terceiro colocado e segundo melhor brasileiro, na Faldo Series; e Top 10 em dois outros torneios do ranking nacional adulto: Sul-Brasileiro (7º) e Brasília (9º).

 

Lauren Grinberg 328Lauren Grinberg, Lago Azul (SP)

Número 1 do Brasil e de São Paulo, Lauren Grinberg não vem em boa fase e viu seu domínio no golfe feminino do Brasil ser constantemente desafiado por meninas como Laura Caetano, de Brasília, que ganhou dela no Amador do Brasil e em outros dois torneios recentes, e por Beatriz Junqueira, do Itanhangá, que a derrotou no Aberto da FPGC na semana passada. Mas, antes disso, Lauren foi vice-campeã e melhor brasileira do Aberto do Paraná; venceu o Bandeirantes, em casa; foi quarta colocada e melhor brasileira do Sul-Brasileiro; além de vencer em Brasília e no Aberto de Curitiba.

 

Outros destaques no masculino

Também merecem citação outros dois gaúchos Top 10 do ranking brasileiro, Matheus Balestrin (6º) e Sandro Gonçalves (8º), ambos da equipe de Alto Rendimento do Belém Novo. Outro Top 10 do Brasil em ascensão é Filipe Rossi (9º), do São Paulo, que já teve quatro importantes Top 10 este ano, nos Aberto da FPGC (8º), Aberto do Paraná (6º), Aberto Bandeirantes (3º) e Faldo Series (9º). Filipe é também o sexto do ranking paulista.

Completam a lista Fernando Augusto Silva, da Academia GolfRange Campinas, que vem investindo muito em seu jogo e já o terceiro colocado do ranking paulista, onde tem dois vice-campeonatos, cinco Top 10 e passou dez torneios seguidos subindo no pódio scratch ou com handicap. E Guilherme Grinberg, de 14 anos, do Lago Azul, campeão brasileiro pré-juvenil e nono do ranking paulista adulto. Gui vem de bons resultados no Aberto da FPGC (7º), Juvenil de Inverno (10º), Amador do Brasil (17º e oitavo brasileiro), Aberto do Paraná (9º) e Bandeirantes (6º).

Outros destaques no feminino

As outras únicas Top 10 do Brasil em campo serão Roberta Moretti Avery (5º), que também é segunda do ranking paulista; e a indonésia Meidy Gama, radicada no Rio (9ª). Roberta vem de um sexto lugar no Aberto do Paraná, com Meidy em sétimo; de um vice-campeonato no Bandeirantes, e de um terceiro lugar em Brasília.

Merecem destaque ainda Fernanda Harada da Silva, filiada diretamente à FPG, quarta do ranking paulista; e a Fernanda Lacaz, do São Fernando, Top 10 do ranking nacional juvenil, que vem em grande ascensão, incluindo o vice-campeonato do Juvenil de Inverno; um sexto lugar no Brasileiro Juvenil, onde foi quarta colocada entre as juvenis (16 a 18 anos); e um quinto lugar no Feminino do Gávea.





Federação Paulista de Golfe