Federação Paulista de Golfe

Notícias

  • Home >>
  • notícias
segunda-feira 23 de julho de 2018

Nova versão – São Paulo sediará duas etapas do PGA Tour LA, no São Paulo GC e na Fazenda Boa Vista

Competições de 13 a 16 e de 20 a 23 de setembro pagarão juntas US$ 350 mil em prêmios

 

(24/07 – 13h) Nova versão corrigida e ampliada

bandeira pgaLA

Depois de várias negociações e de uma visita técnica de Jack Warfield, presidente do PGA Tour Latinoamérica, no dia 10 de julho, foi confirmado que o Brasil irá sediar duas etapas do circuito de acesso ao Web.com Tour em semanas seguidas, em setembro. O  primeiro torneio, de 13 a 16 de setembro, – um novo evento – será o 1º PGA Tour Latinoamérica do São Paulo Golf Club, uma parceira entre o PGA Tour, a Confederação Brasileira de Golfe e o São Paulo Golf Club, que deve ser jogado por pelo menos três anos seguidos no clube da zona sul de São Paulo. Esse primeiro torneio terá um pool de cinco patrocinadores, a ser anunciado em breve.

O segundo evento será o 65º Aberto do Brasil, de 20 a 23 de setembro, no percurso assinado pelo norte-americano Randall Thompson, da Fazenda Boa Vista, em Porto Feliz (SP), com patrocínio da JHSF, a incorporadora da Fazenda Boa Vista. O campo de Thompson foi inaugurado em 2009 e tem uma estrutura mais completa para receber um evento desse porte do que o outro campo de 18 buracos do empreendimento, mais recente, da Arnold Palmer Design. A Fazenda Boia Vista voltará a sediar o torneio em 2019. O Aberto do Brasil, jogado no Campo Olímpico do Rio de Janeiro, em 2017, estava previsto inicialmente para outubro deste ano.

Bupa Challenge - O Aberto do Brasil será mais uma vez a última das quatro competições do Bupa Challenge, do PGA Tour LA, que antes teve torneios na Guatemala, República Dominicana e Equador. O jogador com melhor desempenho nesses quatro eventos recebe um prêmio extra de R$ 10 mil. O Aberto do Brasil tem ainda patrocínios da Rolex e Bodega Garzón, patrocinadores do PGA Tour LA.

Cada um desses torneios paga US$ 175 mil em prêmios, num total de US$ 350 mil (US$ 1,3 milhão) na soma dos dois eventos. Calcula-se que cada evento profissional de golfe deste porte custe três vezes o valor de sua premiação, ou seja, perto de US$ 1 milhão estarão sendo investidos em torneios profissionais de golfe no Brasil num momento em que o golfe profissional brasileiro nunca esteve tão desarticulado.

Quem joga - O Brasil tem hoje quatro jogadores membros do PGA Tour LA: Rafa Becker e Alexandre Rocha, patrocinado pela Academia GolfRange Campinas, que venceram o Amador do Brasil em anos consecutivos – 2014 e 2015, respectivamente – Rodrigo Lee e Gustavo Teodoro, patrocinado pela Magic Development, que tem um cartão condicional mas poderá ter seu status melhorado no segundo semestre, quando for divulgada a lista de prioridades de inscrição. O PGA Tour LA ainda não divulgou os demais torneios do segundo semestre.

Além deles, deverão jogar nos dois torneios mais uns 20 profissionais brasileiros, que entram por convite ou então nas vagas da classificação da segunda-feira imediatamente anterior ao campeonato, que tem nove vagas garantidas e mais outras dependendo do fluxo de inscrições. No final da temporada, em dezembro, os cinco jogadores que mais ganharam dinheiro no PGA Tour LA ganharão vaga para o Web.com Tour, o circuito de acesso ao PGA Tour, em 2019.

Tour Europeu - Desde o ano 2000, quando o Tour Europeu realizou dois eventos consecutivos, o Brazil Rio de Janeiro 500 Years Open, no Itanhangá, e o Brazil São Paulo 500 Years Open, no São Paulo GC, que o país não recebia dois eventos internacionais de grande importância na mesma temporada. Na época as bolsas de prêmios foram de € 675.630 e de € 782.857, respectivamente, um total de € 1.458.487, o equivalente a US$ 1,7 milhão (R$ 6,44 milhões).